Notícias

16/03/2018 13:15:15 -
AVANÇO
Diretor Geral do Senar Central vem a Alagoas trocar experiências para avanço do sistema CNA

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária no Estado de Alagoas (Faeal), Álvaro Almeida, recebeu nesta sexta-feira, 16, a visita do diretor Geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Central, Daniel Carrara.
“Ele nos trouxe as novas ideias que serão implantadas no nosso sistema. Afinal, mudanças precisam ser colocadas em prática visando a qualificação do produtor rural para que possa continuar no exercício da atividade, conquistando melhores resultados”, declarou Almeida.
De acordo com o diretor do Senar Central, a visita, quem vem ocorrendo em todos os Estados, tem o propósito de trocar ideias sobre o novo momento que passa o Senar, federações, sindicatos patronais rurais e a Confederação da Agricultura do Brasil – CNA.
“É um momento em que vamos ter que mostrar mais serviços para os nossos representados. Afinal, a contribuição sindical deixa de ser obrigatória e passa a ser opcional. Então, temos que nos comunicarmos mais, apresentando ainda mais o que fazemos, dando resultado ao nosso cliente para que ele queira contribuir de forma voluntária para o nosso sistema”, afirmou Carrara.
Segundo ele, o Senar é um grande instrumento para o trabalho que pretende ser adotada pelo sistema. “Um exemplo são os cursos de formação profissional como de assistência técnica e gerencial. Alagoas já vem executando com muita qualidade e resultados este trabalho, transferindo tecnologia com uma análise de indicadores econômicos, pensando na renda do produtor”, ressaltou.
O dirigente do Senar Central destacou ainda outras ações desenvolvidas pelo sistema no ensino formal e técnico. “A nossa Faculdade CNA, que acaba de ser credenciada, conta com cinco cursos superiores à distância. Nossa instituição está ampliando a área de atuação e o nosso sistema sindical precisa conhecer este trabalho para que possa valorizar ainda mais todo o sistema”, afirmou.
Carrara destacou ainda que as mudanças são importantes para acompanhar os avanços do segmento da agropecuária. “São avanços muito rápidos não só em termos de tecnologia, mas de problemas também e nosso sistema tem que evoluir da mesma forma. O produtor de hoje não é o mesmo de duas décadas passadas. A nossa instituição completou 25 anos em 2017 e não pode ser a mesma. A ideia é trazer estas iniciativas e como Alagoas é um destaque no Nordeste, implantando todas as novas iniciativas, viemos trocar experiências para vermos o que pode ser melhorado ainda mais”, finalizou.