Notícias

29/05/2018 16:03:51 -
GREVE
Presidente da Faeal debate com MP alternativas para crise gerada pela greve dos caminhoneiros

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária no Estado de Alagoas (Faeal), Álvaro Almeida, participou esta semana de reuniões promovidas pelo Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE-AL) para avaliar os danos causados pela greve nacional dos caminhoneiros nos segmentos de combustíveis, alimentos e saúde pública, debatendo alternativas de enfrentamento do problema.
“O MPE convocou estas reuniões em uma boa hora. Todos puderam avaliar as perdas de cada setor e discutir saídas para minimizar a situação. No nosso da agropecuária, os produtos estão no campo, mas não têm como ser escoados, a exemplo do leite. Alagoas sofre com os mesmo problemas de outros Estados por conta da crise gerada com a greve dos caminhoneiros”, afirmou Almeida. 
As reuniões contaram também com a presença do presidente da Associação dos Criadores de Alagoas (ACA), Domício Silva, e demais representantes de entidades que representam a cadeia produtiva do Estado e de instituições governamentais, além do Exército e Polícia Rodoviária Federal (PRF).
“Tenho conversado com vários promotores de justiça, que já estão sentindo o quadro se agravar em algumas cidades. Como os postos ainda estão sem combustíveis, as mercadorias não podem chegar até as escolas e aos estabelecimentos comerciais, as ambulâncias não conseguem transportar os pacientes e existem hospitais que já estão com medicamentos e insumos em falta. Além disso, os setores produtivos começaram a amargar prejuízos também. Esse encontro é para que pensemos em alternativas para minimizar essa realidade”, declarou o procurador-geral de justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça, que comandou as reuniões.
O grupo de entidades permanecerá monitorando o andamento da mobilização dos caminhoneiros no Estado, devendo se reunir nos próximos dias para uma nova avaliação do problema.
CNA
Esta semana, o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA, João Martins, encaminhou 
ofícios aos ministros da Segurança Pública, Raul Jungmann, e da Defesa, Joaquim Silva e Luna, solicitando escolta para o transporte de produtos perecíveis e suprimentos para a pecuária. 
A medida tem o propósito de evitar a continuidade de mortandade de milhões de animais, o que vem gerando um prejuízo bilionário, e o desabastecimento da sociedade brasileira com produtos alimentares. 

Foto: Claudemir Mota