Textos, notas e informativos distribuídos para a mídia


03/03/2004 18:11:14 - BCCOM

2ª Reunião do Fórum da Agropecuária
Aftosa, leite e arranjos produtivos marcam a segunda reunião do Fórum da Agropecuária

O presidente da Faeal, Álvaro Almeida (com o microfone), durante a segunda reunião do fórum permanente da agropecuária alagoana

As discussões sobre febre aftosa, Programa do Leite e arranjos produtivos marcaram a segunda reunião do Fórum Permanente da Agropecuária Alagoana, ocorrida no dia 1o de março, na sede da Faeal.

O secretário adjunto de Agricultura, Hibernon Cavalcante, abriu a solenidade com dados sobre a campanha da febre aftosa. A primeira etapa de vacinação começa em abril. De acordo com levantamento da Secretária Executiva de Agricultura (Seagri), 101 municípios alagoanos estão equipados com escritórios de emissão da Guia de Transporte Animal (GTA), documento que controla a circulação de animais no Estado. A Faeal também fez o seu relatório sobre o tema e confirma os dados da Seagri.

 

Segundo Hibernon, Roteiro é o único município que ainda não tem escritório de GTA por não possuir bovinos. O secretário adjunto disse que já existem equipes capacitadas para a atuação nesses escritórios e que o recadastramento pecuário termina ainda esse mês.

A campanha 2004 vai ser marcada por novidades: a partir de 15 de março, nenhuma guia de transporte deve ser rasurada e os documentos só podem ser emitidos na cidade sede da propriedade rural  - por exemplo, um criador de Viçosa não pode tirar a guia em Maceió.

Em relação ao Programa do Leite, Hibernon informou que até agora a distribuição foi ampliada para 20 mil litros/dia. A meta é fazer a distribuição diária de 56 mil litros. O programa vai privilegiar os pequenos produtores de leite.

 

Arranjos Produtivos

O secretário de Planejamento, Petrúcio Bandeira, proferiu palestra sobre o Programa de Arranjos Produtivos Locais do Estado de Alagoas. Os APLs remetem a empresas/instituições que interagem num mesmo local ou setor, com o objetivo de viabilizar negócios, promover crescimento econômico e gerar empregos. De acordo com Bandeira, os arranjos produtivos representam desenvolvimento aliado à qualidade de vida.

 

O secretário explicou que o programa consiste em descobrir a potencialidade econômica de uma região e ajudar na dinamização de sua economia, tendo como prioridade os municípios com os piores índices de exclusão social.

 

Bandeira informou que foram detectados 27 arranjos produtivos no Estado, mas que a princípio, o programa vai priorizar 15: mandioca, movelaria, pinha, milho, turismo, laticínios, apicultura, ovinocaprinocultura, piscicultura, floricultura tropical, tecnologia da informação e cultura.Cada arranjo vai ter um gestor específico e o cronograma de atuação vai ser avaliado semanalmente.

 

Sefaz e Sociedade

O evento foi encerrado com palestra do secretário adjunto da Receita Estadual da Sefaz Evandro Lobo, sobre o Fórum Sefaz e a Sociedade, que ocorre sempre na primeira terça-feira do mês. Lobo afirmou que os produtores rurais podem contar com a Sefaz no que diz respeito questões tributárias.